quarta-feira, 16 de abril de 2014

Sobre Capas [Novo Conceito]

Uma nova sessão de postagens inicia-se a partir de hoje. Irei falar das capas de livros das Editoras pelo menos uma vez por mês. Iniciarei falando das capas dos livros do Grupo Editorial Novo Conceito. (É gente, a Editora cresceu e agora é um GRUPO). 

Olha, lembro da minha primeira aquisição da Editora Novo Conceito. Morava numa cidade e minha irmã em outra. Certa feita ela perguntou o que eu queria de presente. Sem muito hesitar, respondi: "Querido John", do Sparks.
Claro que, até então, eu nunca tinha lido nada do autor americano nem possuíra nenhum título dessa nova Editora.
Lembro que assim que a NC lançou seus primeiros títulos, as capas não me agradavam bastante e é como eu sempre digo. Escolher livro pela capa é como escolher comida pela aparência. Eu, por exemplo, só como aquilo que me atrai, visualmente. E é assim com os livros. Se passo por uma livraria e vejo os livros na vitrine logo vou avaliar quais daqueles eu "comeria". Não gosto de capas que usam (e abusam) de fotografias. Não fica bem, me desculpem as editoras. Não gosto porque dificilmente a fotografia vai ter um bom equilíbrio com a fonte usada e as cores também dificilmente irão se harmonizar.


Foi dessa forma com alguns livros da Novo Conceito. Muitos best sellers publicados pela Editora tem uma história legal, um autor que escreve bem, uma boa tradução, mas as vezes a capa não me atraia. Mas hoje eu venho aqui só pra falar de algumas capas que, de certa forma, me deixam ansioso para iniciar a leitura.


São eles:
"Starters"



Gente, que capa mais bonita! Eu mesmo mandei um email para a Editora na época só para parabenizar pelo trabalho gráfico. Muito linda mesmo!  "Enders", o segundo livro da série, tem também o mesmo trabalho. Aqueles olhos de cores diferentes, a capa prateada e o título em alto relevo ficou muuuito agradável.




Outro livro que me atraiu pela capa foi " A livraria 24 horas do Mr. Penumbra". Para quem gosta de livros a paixão pela obra começa com esta capa que se relaciona com a trama. Os livros com capas antigas e clássicas, a luminosidade posta em "24 horas" com o fundo somente em tom monocromático ficou muito bacana.




A capa de "A sabedoria do Condado" também nos leva até o mundo de Tolkien. Capa clássica, com cores leves que transmitem a sensação de estar dentro da casa de um Hobbit. A cor amarelo ficou perfeita, mas eu acho que, se fosse um amarelo mais forte , também ficou muito mais legal. Se a imagem fosse mais ampliada talvez a porta ficaria mais nítida numa primeira olhada, mas ainda assim eu gostei da capa. Eu não possuo o livro,mas dei uma olhada na livraria e vi que se o amarelo fosse mais vivo, a capa ficaria mais atrativa.


"Branca de Neve e o caçador" usa fotografia. É uma das pouquíssimas capas que deram certo usando a fotografia. Ficou tri legal! Também usando a fotografia, o livro "Um mundo brilhante" me ganhou pela capa. Só quem tem o livro pode realmente ver o efeito do brilho da capa. Eu ainda não conhecia um livro aqui no Brasil publicado com este trabalho "brilhoso". É muito brilho na capa, minha gente. Só vendo pra crer.

"Viva Simples" ficou muito bacana. Gosto de livros com capa branca, apesar de atrair mais sujeira. Mas eu gosto de capas brancas assim como a Novo Conceito fez: o branco com algumas pequenas imagens espalhadas pela capa. 

Dos lançamentos recentes da Editora, parece-me que "Quando tudo volta" e "O começo de tudo" foram feitos com a mesma proposta. Ambos possuem uma capa muito legal. Capas que usam uma só cor por toda a capa com o título no meio sempre dá certo. Podem observar que muitos livros possuem esta pegada e dá certo. Fui até pesquisar quem fez o trabalho gráfico, mas vi que eram artistas diferentes. Mas olha, ficou legal demais!

A capa de "Colin Fischer" é misteriosa, assim como a história. O interessante dessa capa é justamente essa omissão do restante do rosto do personagem. Os óculos de nerd, os 
emotions que aparecem atrás do rosto ficaram com o aspecto fiel à história. Agora eu só acho que se a camisa do garoto fosse amarela, a capa teria ficado mais legal. Mesmo assim gostei muito.

Agora, francamente, a melhor capa que a Editora Novo Conceito já fez em todos os anos foi a de "O menino dos fantoches de Varsóvia". CARAMBA! Que coisa mais bonita! Capa azul (cor que eu acho linda em capas de livros), a sombra escura do menino no canto direito e o arame farpado transpassando toda a capa deu um drama à capa. Lembrei-me muito dos livros do John Boyne. O que a NC fez ficou muito perfeito e bem próximo da capa dos livros editados pela Companhia das Letras (editora do autor irlandês).


Gostei também das capas dos livros do Clive Cussler. Eu demorei para me simpatizar com o estilo da fonte, das imagens, mas depois quando li um dos livros, captei a mensagem e a proposta da capa. Para quem conhece a história dos livros sabe que não poderia haver melhor capa que essas.


"O Retrato" tá muuuuito vintage. Clássico e lindo demais. Acho que a minha decisão de comê-lo começou quando eu vi a foto do livro no twitter da Editora.  Queria dar os parabéns pessoalmente para o criador dessa capa. A cor cinza realçou o tom clássico da capa, o que colaborou para que eu me atraísse por ele.


Por último, eu deixei para comentar a capa do livro "O lado mais sombrio". Ao que percebi 
até agora, essa é uma aposta da Editora. Não é para menos. Tudo atrai: a história e, claro, a capa. Estas plantas com borboletas invadindo o rosto da personagem principal ficou excelente. O olhar da guriazinha tá no mesmo nível do de Capitu. 



____________________________________________

É um convite para devorarmos os livros.
Então é isso. Próximo mês vou falar de mais capas, mas de outra Editora. Caso você concorde, discorde ou queira acrescentar algo esquecido, é só falar.
Até mais.
Abraço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi. Grato pela visita. Sinta-se convidado a voltar sempre. Abraços.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...