segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Meus Versos] Calendário

Eu deveria ter publicado este poema no final do ano passado (2011). Mas acabei esquecendo. Devo informar que escrevi ele nas últimas noites do ano. 



Calendário  findando
 Preludio um novo tempo
Com as minhas asas maiores
E meus rastros deixados na trilha.
Agora meus olhos enxergam o passado
Com uma visão clínica
Do quadro borrado
Que eu não consegui concluir,
Das escolhas e ações
Desmedidas,
Das palavras não ditas
Das mesmas malditas
Do vento que não as levou.

Agora findo mais uma fase,
Mais um curso do itinerário da vida
Concluo mais um percurso.
Chego ao pódio não como vencedor
Mas como merecedor do troféu:
Por que a guerra continua
E não muda de cor...
Continuará surgindo as mesmas sangrias
As mesmas setas atacadas,
E os mesmos soldados a enfrentar
Vestidos agora com outra farda.

Últimas páginas do calendário...
O meu termômetro altera o grau
Minha bússola perde o controle
Meu relógio não mais alarma
E eu permaneço a olhar
O horizonte sem
Preocupar-me com o tempo
Sem perceber que envelheço
E que meus semelhantes
Precisam da minha mão
Das minhas palavras.

Últimas páginas do calendário...
Que foi feito das pessoas
Que não vi, que não ajudei?

.......................................

É hora de pesar tudo
E deixar os pesares de lado.
Eis a aurora de um novo ciclo
De centeios e de muitas águas.
Banhar-me-ei nas ondas
Sinuosas
Dos próximos dias...

2 comentários:

Postar um comentário

Oi. Grato pela visita. Sinta-se convidado a voltar sempre. Abraços.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...